Psicologia: Introdução ao Processo Histórico...

Formação da Psicologia Científica no Séc. XIX

#DEFINIÇÕES ACADÉMICAS

Lei de Weber-Fechner:

 

Descreve a relação entre a  magnitude física de um estímulo e a intensidade do estímulo que é percebida.

 

Pode ser enunciada do seguinte modo: "A RESPOSTA A QUALQUER ESTÍMULO É PROPORCIONAL AO LOGARITMO DA INTENSIDADE DO ESTÍMULO".

Esta lei aplica-se aos cinco sentidos, mas é mais bem entendida quando se refere a Luz e a Som.

WEBER E FECHNER ERAM FUNCIONALISTAS E PSICOFÍSICOS

#DEFINIÇÕES ACADÉMICAS

Funcionalismo e Estruturalismo:

 

O Estruturalismo concentra-se nos elementos propriamente ditos, e acreditava que a Psicologia deveria procurar descobrir a natureza das experiências conscientes elementares, para determinar a sua estrutura, através da análise das partes que a formam.

O Funcionalismo passa a considerar a Percepção: a forma como cada indivíduo percebe e interpreta o mundo. Como método para chegar ao entendimento individual que cada um tem do mundo, Wundt usa o Introspeccionismo. 

O Funcionalismo considera o fator da adaptação, não somente como expressão da relação de sobrevivência ao meio, mas antes como uma expressão dãe "melhor vivência" neste meio. Estes fundamentos tiveram forte influência das Teorias Evolucionistas de Darwin.

Quem foi Edward Titchener?

Psicólogo norte-americano, nascido em 1867 e falecido em 1927, estudou em Oxford e trabalhou com Wundt em Leipzig, na Alemanha. É o responsável pela divulgação nos Estados Unidos da América das conceções do seu mestre e é considerado o pai do estruturalismo, baseado no voluntarismo e introspecionismo de Wundt.  É na sua obra Experimental Psychology, publicada entre 1901 e 1905, que Titchener descreve os resultados da aplicação da análise introspetiva. Até morrer, manteve-se fiel às suas conceções, resistindo às inovações que entretanto ocorriam na investigação em psicologia.

                               

Referências:

 

Rooney, Anne ( ). A História da Psicologia, Ed. MBooks

 

Anderson, R. (1980). Wundt's prominence and popularity in his later years. Psychological Research, 42, 87-101.

 

Araujo, S. F. (2010). O projeto de uma psicologia científica em Wilhelm Wundt: uma nova interpretação. Juiz de Fora: Ed. UFJF.